Questo sito utilizza cookie di terze parti per inviarti pubblicità in linea con le tue preferenze. Se vuoi saperne di più clicca QUI 
Chiudendo questo banner, scorrendo questa pagina, cliccando su un link o proseguendo la navigazione in altra maniera, acconsenti all'uso dei cookie. OK

Estética e política em Mario Pedrosa (1930-1950)

The object of this research is to show the connection between art and politics in
Mário Pedrosa´s pathway during the decades of 1930 to 1950. If in his lecture on the German engraver Käthe Kollwitz in 1933 Pedrosa had outlined the principles of a Marxist aesthetics, which tried to link up the nature, origin and development of art with the technical stage reached by society and the class struggle, from 1942 onwards, he put emphasis on the specificity and the proper laws of the artistic field. Although Pedrosa had always in mind the final process of syntesis between art and social revolution, there has been a shift in his position. This derived not from his deliberate withdrawal from politics in order to devote himself exclusively to his role as an art critic, but from a necessary adjustment to connect art with politics in another way, so that the prospects for the artistic field might be achieved.

Mostra/Nascondi contenuto.
8 Introdução Ativista político e grande conhecedor das artes, Mário Pedrosa contribuiu de modo decisivo na formação e no desenvolvimento do meio político e artístico brasileiro do século XX. Pode-se dizer que su a trajetória acompanha de perto as principais transformações do século, pois Pedrosa tratou sempre de analisar o plano local e o plano internacional e de propor intervenções capazes de promover a transformação concreta da sociedade. Essa empreitada assumida pelo intelectual brasileiro pode ser averiguada por suas atividades proeminentes na política e nas artes, bem como por sua copiosa produção ensaísta. Se, ademais, o brilho intelectual de Pedrosa resid iu no domínio consistente de uma ampla gama de conhecimentos para explicação dos fenômenos próprios de nossa época, a tentativa de interpretar sua ação consciente apresentou -se como uma tarefa árdua, suscetível de soçobrar nas idas e vindas de uma análise – com poucos pares entre os intelectuais brasileiros – robusta e que esteve continuamente atenta à complexidade dos acontecimentos. Em 1933, Pedrosa pronunciou uma conferência sobre a gravurista alemã Käthe Kollwitz e defendeu uma a rte tendenciosa, que tomasse partido em favor da luta revolucionária e internacionalista do proletariado. Quase nove anos depois, no início da década de 1940, processou-se uma mudança na predileção do crítico que passou a apoiar uma arte sem mensagem social ou política explícita. Tratava-se do abandono da influência dos elementos extrínsecos na arte e predominância de sua especificidade e leis internas. As conseqüências dessa mudança iam muito além de um suposto interesse de Pedrosa em promover as manifestações mais renovadas da arte moderna e incidiam sobre o próprio entendimento dele sobre a arte e sobre a política. Na verdade, a explicação da mudança de interesse da arte proletária para o abstracionismo é um dos assuntos mais controvertidos na análise da obra de Pedrosa. Essa mudança, entretanto, pode fornecer subsídios tanto para se compreender de que modo Pedrosa entendia a articulação entre a arte e o momento político e social vivido como para o esclarecimento do significado atribuído pelo crítico à natureza da atividade artística. O problema da interpretação da obra de Pedrosa reside na opinião mais ou menos consolidada, até nossos dias, sobre as conseqüências da mudança de predileção do crítico que apoiou a arte proletária na década de 1930 e a arte autônoma durante a

Tesi di Dottorato

Dipartimento: Filosofia

Autore: Marcelo Mari Contatta »

Composta da 284 pagine.

 

Questa tesi ha raggiunto 88 click dal 20/07/2012.

Disponibile in PDF, la consultazione è esclusivamente in formato digitale.